terça-feira, 20 de julho de 2010

Olá meu amor... (2)

Olá meu amor


Escrevo-te porque me faz sentir mais próxima de ti!

Tão próxima como naquele primeiro abraço, que foi o mais apertado que já demos. Um primeiro contacto surgido das palavras revelou-se num abraço muito desejado.

Anseio de novo esse teu abraço, o total enlace dos nossos corpos, para que a proximidade seja plena. Para que tu esqueças, mas principalmente eu, todas as decepções que tão surpresamente te tenho dado.

A volta continuamente adiada, a espera de uma decisão concludente, que te tenho praticamente recusado.

Sabes que o desejo de voltar para ti é enorme, que quase não cabe dentro de mim, mas percebes, talvez até melhor do que eu, o porquê de tanto adiamento.

Só quero que saibas o quanto o teu apoio durante estes meses foi importante, mostrou-me, ainda mais do que já sabia, que tu és o único que quero, para sempre, ao meu lado, sem ti nunca teria conseguido.


Amo-te muito
Sempre tua

P.B.

sábado, 17 de julho de 2010

Coração apertado




Ultimamente parece que tenho o coração cerrado numa mão.



Parece que alguém o agarrou e o apertada para espremer todo o sangue por ele bombeado, para que apenas fique presente o amor que por ti sinto.

É a explicação para o facto de não te conseguir tirar dos pensamentos!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Férias, fome e dores...



Detesto quando me perguntam que tal o Algarve com cara de que eu deveria estar adorar...
A única coisa que tenho a dizer é que estou ansiosa que chegue o dia em que o regresso é para não mais voltar. Porque não, eu não estou de férias e não estou a curtir a praia de papo para o ar.


Para ajudar na festa/férias, ando com tantas dores na boca que passo uma fome desgraçada, nem sequer me posso dar ao luxo de salivar, quanto mais comer ou beber... Ando que nem posso... Só me apetece arrancar os dentes todos, embora duvide que resolva o problema!