quinta-feira, 17 de junho de 2010

Rosto molhado...


Deitei-me...
O sono teimava em não aparecer...

Rosto molhava-se de recordações, pensamentos e sensações...

Passagem da mão que secava por instantes o que voltava a ser inundado pelas lágrimas que teimavam em jorrar...

Olhos teimosos ensonados mantendo-se abertose atentos a uma partida indesejada que mais uma lágrima largava...

2 comentários:

A. disse...

É normal a inquietação, ao dormir, quando um adeus é forçado e indesejado. Há que saber ersperar, pacientemente, pelo regresso. Beijinho*

P.B. disse...

Olá Andreia,

Sim, temos que esperar pelo regresso, que espero que seja num futuro muito próximo.
Beijinhos