quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Obrigada amor


Amor...

Não te escrevi uma carta, nem tão pouco um postal....

Mas a nossa relação começou disto mesmo...

De palavras ditas no momento que tocaram um e o outro...

De pequenos conselhos que achávamos os mais correctos...

De opiniões trocadas e o quanto algumas agora se tornaram tão erradas!

De uma vontade imensa de conhecer melhor o rapaz que tão bem me parecia conhecer!

Não deves conseguir imaginar o quanto cada palavra tua, quer nos bons quer nos maus momentos, me tocava profundamente...

Não deves sequer entender o quanto eu me via em cada uma dessas palavras!

Obrigada meu amor...


Amo-te muito fofinho

4 comentários:

Márcio disse...

Só para dizer que te amo muito...

Quanto ao resto, como diz o Paulo Gonzo, falamos depois...

Beijinhos fofos

Márcio disse...

É a 3ª vez que leio, é a 3ª vez que fico com pele de galinha.
Já disse que adorei o texto? Já te disse que não sei o que dizer? Já? Ok, volto a dizê-lo então...

É verdade, olhar para trás e ver como tudo aconteceu... muitos diriam que hoje não estávamos aqui e assim. A verdade é que o que sentimos um pelo outro continua a superar a distância e outras coisas mais...

Jorge Pessoa e Silva disse...

Viva p.b.

Tu consegues essa coisa fantástica de seres tão bonita nas tuas declarações de amor que uma pessoa chega e sente-se comovida e confortável, nunca embaraçada ou até a mais, como se estivesse a incomodar ao chegar, não sei se me faço entender...


Fico feliz pelos dois. Do coração.

Beijinho

**laura** disse...

Olá :)
Não venho acrescentar nada, porque não há palavras "acrescentáveis" ao amor!
Só passei para dizer que vim espreitar as tuas divagações e foi giro recordar o início do vosso encontro à tantos e tão poucos meses atrás! :P

**