quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Prisão

Gostava de conseguir pôr em palavras tudo o que sinto!

Mas as palavras parecem presas...

Não se querem soltar do nó que sinto...

São palavras raras que não saem..

São palavras escassas que nao aparecem...

Quero soltá-las, mas ela teimam em viver nesta prisão!

Quero libertar-me dos sentimentos mas eles teimam em aprisionar-me!

Quais grades? Qual prisão?



Não há nada pior do que um cadeado no coração!

Não há nada pior do que sermos prisioneiros de nós mesmos!

6 comentários:

Márcio disse...

Aprisionada ao passado, que afecta sempre o futuro.
Acho que todos passados por isso, numa ou noutra fase da nossa vida… por alguém que passou por nós e deixou marcas em nossos corações. Não é fácil continuarmos como se nada tivesse passado. Mas também ninguém disse que o era, e ninguém disse para esqueceres de vez essa pessoa.
É importante que não fiques presa a algo que já não é teu… Mas eu não sou o melhor pessoa para o dizer, pois ainda hoje tenho esperança que ela volte…

hr disse...

a esperanca e a ultima a morrer...mas olha que nesse aspecto nso concordo...
a vida continua tem mais logica, pq qd se gosta gostasse mas se ja se teve essa hipotese e nao se aproveitou ou nao se foi correspondido mais vale continuar, pq no amor as segundas oportunidades sao dificeis de dar e dificeis de sairem em bons portos...
e nao vale a pena chorar no sangue derramado, a felicidade esta ai, nao depende so de nos, mas tb de quem nos e querido, nao ha prisoes, nos criamos as prisoes, que sao ilusoes por nao querermos deixar o passado, mas nao podemos pq o passado e para ser revivido e nao vivido...
e ha que viver a vida pq e importante demais para ser desperdicada...

Sónia Costa disse...

Um cadeado no coração é realmente algo que nos magoa, nos destrói aos poucos, nos faz ver o mundo a preto e branco...Mas se é um cadeado certamente há uma chave para o abrir. E eu espero que a encontres muito rápido e que te libertes.

P.B. disse...

Márcio, HR e Sónia
Há dias em que é inevitável sentirmo-nos presos, há dias em que pensamos mais em determinadas pessoas, mas também há dias em que essa pessoa até sai dos nossos pensamentos, mas tirá-la do nosso coração sempre foi muito mais dificil.
Ao contrário do Márcio eu não tenho esperança de ficar com esse pessoa, a minha esperança já morreu, mas o sentimento ainda continua vivo dentro de mim.

Beijos

L. C. disse...

Já que ontem no café mandaste a boca (foleira!!) de que eu não comento os teus posts e que apenas digo "ah e tal, eu já li mas comento depois", vim aqui só para dizer que a respeito do assunto deste post já te disse quase tudo o que tinha a dizer. Só não disse tudo, porque eu sou persistente e teimosa e crente e, portanto, vou continuar a insistir.
E pronto, ficas aqui com um comentário a sério e relativamente longo, para não te queixares muito.
Fui!

PS: Gosto muito de ti linda, sabes que mereces o melhor e essa prisão está muito longe de tudo o que tu mereces! Lembra-te que há prisões das quais só nós temos a chave que permite a liberdade. Por muito que eu quisesse arrancar-te daí, tens de ser tu a fazê-lo, tens de ser tu a ter a coragem, a força e a vontade de partir essas grades e respirar ar puro. Sabes, a Lua está linda por estas noites... linda demais para ser apreciada aos quadradinhos, sai e aprecia tudo o que tens à tua volta!!
Beijinhos (E mais uma vez, obrigada por seres a minha amiga-irmã).

**

P.B. disse...

LC
Boca foleira não, boca real ;)

Só ainda não disseste tudo porque sabes que eu vou sempre precisando de mais uma palavra, porque sabes que a cada passo tenho uma pequena recaída! Porque sabes que és a minha melhor amiga e que vai ser sempre a ti que eu vou recorrer.

PS. O que é que eu já te disse desses agradecimentos?

Beijocas :)